DESTAQUES

Notícias Nacionais

Notícias das Dioceses

Ministérios

Nossa Igreja

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Papa Francisco aceita pedido de renúncia de Dom Alfredo


Dom Alfredo Schaffler
Bispo coadjutor, dom Juarez Sousa da Silva, assume o governo pastoral da diocese de Parnaíba
O papa Francisco acolheu, nesta quarta-feira, 24 de agosto, o pedido de renúncia ao governo pastoral da diocese de Parnaíba (PI) apresentado por dom Alfredo Schaffler, por motivo de idade. Ao mesmo tempo, foi nomeado como novo pastor da Igreja particular o bispo coadjutor, dom Juarez Sousa da Silva. 

 

 

 

Dom Juarez

 

Dom Juarez

Nascido em Barras (PI), em 30 de junho de 1961, dom Juarez Sousa da Silva foi ordenado presbítero em 1994, na cidade de Barras (PI). Dom Juarez é mestre em História Eclesiástica pela Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, na Itália. 
Dom Juarez foi nomeado bispo em 27 de fevereiro de 2008 e ordenado em 17 de maio do mesmo ano, em Oeiras (PI).

Angelus: "Jesus é a porta que nos propicia amor, compreensão e proteção"

“Nossa vida não é um videogame e nem uma novela. Nossa vida é uma coisa séria e o objetivo a alcançar é importante: a salvação eterna”. Assim disse o Papa em sua reflexão neste domingo (21/08). Aos milhares de fiéis que neste domingo ensolarado tomaram a Praça São Pedro, o Papa falou sobre a salvação representada pela porta de Jesus, que conduz ao perdão do Pai.

Porta de Jesus é sempre aberta para todos
“A porta da misericórdia de Deus – prosseguiu – é sempre aberta para todos. Deus não tem preferências, pois acolhe sempre todos, sem distinção. E a salvação que Ele nos dá é um fluxo incessante de misericórdia que derruba qualquer barreira e abre para surpreendentes perspectivas de luz e de paz”.
No Evangelho de Lucas, Jesus adverte: “Esforçai-vos por entrar pela porta estreita. Pois eu vos digo que muitos ten­tarão entrar e não conseguirão”. “Esta porta não é estreita porque é oprimente – explicou o Papa – mas porque assim, nós limitamos e contemos nosso orgulho e nosso medo; e nos abrimos com coração humilde e confiante a Ele, reconhecendo-nos como pecadores e necessitados de seu perdão”.

Em silêncio para meditar com os fiéis
Improvisando, o Papa propôs aos presentes que pensassem em silêncio alguns instantes nas coisas que cada um têm dentro e que impedem que se atravesse esta porta: o orgulho, a soberba, os pecados...
“Depois, pensemos na outra porta, aquela que está escancarada... a da misericórdia de Deus que nos espera do outro lado, para nos perdoar. Esta porta é a ocasião”.
Referindo-se ainda à narração de Lucas, Francisco lembrou que “a um certo ponto, o dono da casa se levanta e fecha a porta. “Mas se Deus é bom e nos ama, por que fecha a porta? Porque nossa vida não é um videogame e nem uma novela. Nossa vida é uma coisa séria e o objetivo a alcançar é importante: a salvação eterna. Ao entrar pela porta de Jesus, a porta da fé e do Evangelho, deixamos para trás atitudes mundanas, maus hábitos, egoísmos e fechamentos”.

Maria nos ajude a compreender
A exortação final do Pontífice foi a Maria: “a ela, peçamos que nos ajude a entender as ocasiões que o Senhor nos oferece para atravessar a porta da fé e percorrer uma estrada maior: o caminho da salvação, capaz de acolher todos os que se deixam envolver pelo amor. É o amor que salva; é o amor que na terra é fonte de bem-aventuranças para aqueles que na mansidão, na plenitude e na justiça, se esquecem de si e se doam aos outros, especialmente aos mais frágeis”. 

Fonte: Rádio Vaticano

Agora você pode contribuir com a RCC através do cartão de crédito


Contribuir com a RCCBRASIL está muito mais fácil, chegou o crédito recorrente!
Já pensou contribuir com os projetos da Renovação Carismática Católica, fazer o bem a milhares de pessoas e sem precisar ir ao banco e enfrentar filas? Com essa nova modalidade agora é possível. No crédito recorrente, a sua contribuição é efetuada no pagamento da fatura do seu cartão, sendo uma forma mais prática para quem já é um contribuinte e também para as pessoas que desejam iniciar a ajuda ao Movimento.
Com essa modalidade, o valor total da compra não compromete o limite do cartão de crédito, mas, apenas o valor da parcela.  Ou seja, não se trata de um valor anual dividido em parcelas que irão comprometer o valor total na fatura, mas trata-se de uma colaboração mensal diretamente no cartão de crédito, onde o valor que afeta a fatura é apenas o da mensalidade que você optar no seu cadastro.
O crédito recorrente está disponível tanto para colaboradores do projeto Semeando a Vida no Espírito (Sede Nacional), como para quem contribui com o projeto Nossa Vida em Missão (Missão Marajó, Editora RCCBRASIL, IEAD, Escritório Nacional, Encontros Nacionais, etc.). A nova modalidade está acessível para cartões das bandeiras Visa e Mastercard.
O crédito recorrente foi uma sugestão dos próprios contribuintes da RCCBRASIL por ser uma forma prática e segura de contribuição. Com ele o contribuinte pode escolher qualquer valor para doação, a partir de R$20,00, e será cobrado do colaborador diretamente na fatura, sem carnês, boleto ou qualquer tipo de transferência. Desta forma, a pessoa é debitada automaticamente, evitando esquecer o dia do pagamento.
Seja você também um colaborador da RCCBRASIL! Para contribuir, basta acessar a área de colaboração na página www.rccbrasil.org.br/projetos/eu-colaboro e selecionar a opção "Cartão de Crédito". Quem já é um colaborador  pelo carnê e deseja migrar para essa nova forma basta fazer contato com o  Escritório Nacional ligando para (12) 3151-4155 ou encaminhando e-mail para o atendimento do projeto de sua escolha de contribuição, Semeando a Vida no Espírito: sedenacional@rccbrasil.org.br;ou Nossa Vida em Missão:  cadastro@rccbrasil.org.br.
 Fonte; RCC Brasil

A alegria do amor: misericórdia e integração para todas as famílias


Cidade do Vaticano (RV) – “A alegria do amor” (Amoris Laetitia) é o título da Exortação Apostólica pós-sinodal que o Papa Francisco assinou em 19 de março passado, Solenidade de São José, e que foi apresentada nesta sexta-feira, 8 de abril, no Vaticano.

A Exortação tem nove capítulos e a oração final à Santa Família. O documento reúne os resultados dos dois Sínodos sobre a família convocados pelo Papa Francisco em 2014 e 2015. 

 “À luz da Palavra”
No primeiro capítulo, o Papa indica a Palavra de Deus como uma “companheira de viagem para as famílias que estão em crise ou imersas em alguma tribulação, mostrando-lhes a meta do caminho”.  

 “A realidade e os desafios das famílias”
Partindo do terreno bíblico, no segundo capítulo, o Papa insiste no caráter concreto, que estabelece uma diferença substancial entre teorias de interpretação da realidade e ideologias. “Sem escutar a realidade não é possível compreender nem as exigências do presente nem os apelos do Espírito”, aponta. “Jesus propunha um ideal exigente, mas não perdia jamais a proximidade compassiva às pessoas frágeis”.  


"O olhar fixo em Jesus: a vocação da família”
O terceiro capítulo é dedicado a alguns elementos essenciais do ensinamento da Igreja sobre o matrimônio e a família. Ilustra a vocação à família assim como ela foi recebida pela Igreja ao longo do tempo, sobretudo quanto ao tema da indissolubilidade, da sacramentalidade do matrimônio, da transmissão da vida e da educação dos filhos. A reflexão inclui ainda as famílias feridas e o Papa recorda aos pastores que, “por amor à verdade, estão obrigados a discernir bem as situações”, já que o grau de responsabilidade não é igual em todos os casos: “ É preciso estar atentos ao modo como as pessoas vivem e sofrem por causa da sua condição”.  

 “O amor no matrimônio”
O quarto capítulo trata do amor no matrimônio. O Papa faz uma reflexão acerca da «transformação do amor» ao longo do casamento. A aparência física transforma-se e a atração amorosa não desaparece, mas muda. «Não é possível prometer que teremos os mesmos sentimentos durante a vida inteira; mas podemos ter um projeto comum estável.
“O amor que se torna fecundo”

O quinto capítulo centra-se por completo na fecundidade e no caráter gerador do amor. Fala-se de gestação e adoção. A Amoris laetitia não toma em consideração a família «mononuclear», mas está consciente da família como rede de relações alargadas.
 “Algumas perspectivas pastorais”

No sexto capítulo, o Papa aborda algumas vias pastorais que orientam para a edificação de famílias sólidas. Fala-se também do acompanhamento das pessoas separadas ou divorciadas e sublinha-se a importância da recente reforma dos procedimentos para o reconhecimento dos casos de nulidade matrimonial. Coloca-se em relevo o sofrimento dos filhos nas situações de conflito e conclui-se: "O divórcio é um mal". Fala-se da situação das famílias com pessoas com tendência homossexual, insistindo na recusa de qualquer discriminação.

“Reforçar a educação dos filhos”
O sétimo capítulo é totalmente dedicado à educação dos filhos, em todos os âmbitos, inclusive sexual. É feita uma advertência em relação à expressão «sexo seguro», pois transmite «uma atitude negativa a respeito da finalidade procriadora natural da sexualidade.

 “Acompanhar, discernir e integrar a fragilidade”
O capítulo oitavo é muito delicado, representa um convite à misericórdia e ao discernimento pastoral. O Papa usa aqui três verbos muito importantes: «acompanhar, discernir e integrar». O Papa escreve: «Os divorciados que vivem numa nova união, por exemplo, podem encontrar-se em situações muito diferentes, que não devem ser catalogadas ou encerradas em afirmações demasiado rígidas, sem deixar espaço para um adequado discernimento pessoal e pastoral».

O Papa afirma que «os batizados que se divorciaram e voltaram a casar civilmente devem ser mais integrados na comunidade cristã sob as diferentes formas possíveis, evitando toda a ocasião de escândalo». «A sua participação pode exprimir-se em diferentes serviços eclesiais.

Francisco profere uma afirmação extremamente importante para que se compreenda a orientação e o sentido da Exortação: «Se se tiver em conta a variedade inumerável de situações concretas (…) é compreensível que se não devia esperar do Sínodo ou desta Exortação uma nova normativa geral de tipo canônico, aplicável a todos os casos. É possível apenas um novo encorajamento a um responsável discernimento pessoal e pastoral dos casos particulares.

 “Espiritualidade conjugal e familiar”
O nono capítulo é dedicado à espiritualidade conjugal e familiar. O Papa afirma: «Nenhuma família é uma realidade perfeita, mas requer um progressivo amadurecimento da sua capacidade de amar. 

Nota
Como já se pode depreender a partir de um rápido exame dos seus conteúdos, a Exortação apostólica não pretende reafirmar com força o «ideal» da família, mas a sua realidade rica e complexa. Há nas suas páginas um olhar aberto, profundamente positivo, que não se nutre de abstrações ou projeções ideais, mas de uma atenção pastoral à realidade. O documento é uma leitura densa de motivos espirituais e de sabedoria prática útil a cada casal ou a pessoas que desejam construir uma família. Nota-se sobretudo que foi fruto de uma experiência concreta com pessoas que sabem a partir da experiência o que é a família e o viver juntos durante muitos anos. A Exortação fala a linguagem da experiência e da esperança.

Quirógrafo
 A cópia da Exortação enviada aos bispos do mundo, foi acompanhada por um quirógrafo do Papa:

"Caro irmão,
invocando a proteção da Sagrada Família de Nazaré, tenho a alegria de te enviar a minha Exortação “Amoris laetitia” para o bem de todas as famílias e de todas as pessoas, jovens e idosas, confiadas ao teu ministério pastoral.
Unidos no Senhor Jesus, com Maria e José, peço-te que não te esqueças de rezar por mim". 
(CM/BF)

Fonte: Rádio Vaticano

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Resumo do XIV Congresso Estadual da RCC e Ganhadores dos prêmios da Rifa



Santa Missa, pregações, louvores, apresentações, congressinho para crianças, vivência fraterna, este é o resumo das atividades que aconteceram no XIV Congresso Estadual da RCC PI- Renovação Carismática Católica no Piauí, realizado em Teresina nos dias 16 e 17 de julho, com o tema Sede misericordiosos como vosso Pai é Misericordioso. 

O evento contou com uma média de 4 mil participantes nos dois dias, com presença de Vinicius, presidente estadual da RCC Rio de Janeiro, Nilde Freitas, presidente estadual da RCC no Piauí e Salomé, do Ministério de Formação. 

O Congresso que reuniu os coordenadores diocesanos da RCC em Floriano, Picos, Oeiras, São Raimundo Nonato, Bom Jesus, Campo Maior e Parnaíba, além da Arquidiocese de Teresina e demais membros da RCC de todo o estado. O evento marcou presença de membros de outros movimentos da Igreja e da comunidade em geral, interessados em conhecer mais sobre o movimento.

Frente ao desafio de viver uma vida diferente o convite é para perceber o que precisa ser mudado enquanto filhos amados do Pai, para isso é preciso permitir-se conhecer o que ainda precisa ser modificado. Dentre as diversas pregações foi possível perceber a importância de pertencer a um Grupo de Oração, Cenáculo de amor e da misericórdia do Pai, e dele não se distanciar, é preciso aguardar aí (grupo de oração) o cumprimento da promessa de Deus, não se afastar da Jerusalém, ressalta Vinicius, “o Grupo de Oração é um hospital de campanha, lugar de encontro com o Pai e com sua misericórdia”

Outro fator importante na caminhada de fé é o acolhimento, acolher faz parte da vivência cristã e da Igreja. Padre Adão ressaltou em sua homilia sobre a importância de acolher com amor aqueles que chegam aos Grupos de Oração e a Igreja em suas diversas atividades. Maria e Marta representam para nós a necessidade, a urgência que eu tenho de colocar a espiritualidade naquilo que eu faço, disse o Padre. “Estamos vivendo num mundo do “imediatismo”, e muitas vezes não percebemos aquilo que o Senhor deseja realizar em nossa vida. “Tem gente querendo falar de Deus, mas não fala com Deus, é necessário que possamos silenciar e ouvir o que o Senhor quer nos falar, Deus fala conosco o tempo todo! ” Destacou Padre Adão em sua homilia na missa de encerramento.

No encerramento do XIV Congresso Estadual da RCC, aconteceu a rifa dos prêmios da rifa, que foram: Um salário mínimo; Meio salário mínimo; Uma TV de Led e R$ 450,00 para o Grupo de Oração que mais vendesse pontos da rifa.

1º Prêmio (Um Salário Mínimo) – Ganhador: Nilton de Sousa Carvalho (Cidade: São José do Piauí;
2º Prêmio (Meio Salário Mínimo) – Ganhador: Teresinha de Jesus (Cidade: Teresina)
3º Prêmio (Uma TV de LED 40”) – Ganhador: Manoel Raimundo dos Santos (Cidade: Teresina)
4º Prêmio (R$ 450,00) Grupo de Oração que mais vendeu pontos de Rifa
Ganhador: Grupo de Oração Jesus te ama (Cidade: Simões)



Ministério de Comunicação Social
Renovação Carismática Católica - Piauí

Mobilização Nacional de Oração


No dia 22 de agosto viveremos a intercessão pelo ministério de música e artes, Juninho Cassimiro envia a carta do mês de agosto para todos os artistas com o título "O louvor por amor, aos moldes de Maria!".
Durante esses anos os artistas tem feito uma profunda formação através das meditações aos moldes de Maria. Podemos citar nesse mês uma frase encontrada na carta de agosto, "Até os serafins podiam descer do céu para aprender no coração de Maria a maneira de se amar a Deus." (S. Afonso de Ligório), você pode conferir o texto completo através do link, www.musicaeartesrcc.com/mobilizacao ainda nesse mesmo encontram-se todas as cartas dos meses anteriores.

 
Copyright © 2015 RCCPIAUÍ - Renovação Carismática Católica do Piauí. Desenvolvido por Ministério de Comunicação Social