DESTAQUES

sábado, 8 de agosto de 2015

Aborto, obra-prima do demônio: ele viola todos os mandamentos de Deus


O  aborto  não é somente um mal social: é também uma negação espiritual do plano de Deus para a felicidade e o bem-estar do ser humano. Quando Deus diz "Sim!" à vida e à fertilidade, o  demônio  grita um rotundo "Não!".
 
O poder espiritual do aborto consiste em sua perfeita violação de todos os mandamentos de Deus:
 
1 - Amar a Deus sobre todas as coisas.
2 - Não tomar seu santo nome em vão.
3 - Guardar domingos e festas de preceito
4 - Honrar pai e mãe
5 - Não matar
6 - Não pecar contra a castidade
7 - Não roubar
8 - Não levantar falso testemunho
9 - Não desejar a mulher do próximo
10 - Não cobiçar as coisas alheias
 
Veja como isso acontece:
 
6º e 9º mandamentos
Em primeiro lugar, muitos abortos são pecados contra estes mandamentos, porque foram fruto de adultério, fornicação e luxúria.
 
5º mandamento
Certamente, o aborto é um pecado contra o 5º mandamento, que proíbe o homicídio.
 
3º mandamento
Da mesma maneira, viola também o 3º mandamento, porque muitos dos bebês morrem aos finais de semana, dias de maior atividade comercial das clínicas de aborto, indo contra o dia do Senhor.
 
2º e 4º mandamentos
O aborto é o "outro lado da moeda" do 4º mandamento, pois os pais desonram o filho, maldizem a santidade de Deus em seu segundo mandamento, que se manifesta na pequena criatura, feita à sua imagem e semelhança.
 
1º mandamento
Por ser uma falsa "religião" ou crença, o aborto constitui uma violação do 1º mandamento, que proíbe a veneração de qualquer deidade fora de Deus.
 
8º mandamento
Esta "religião" se sustenta à base de um sistema altamente sofisticado de falsos testemunhos e enganos, que levam a mulher a acudir à clínica de abortos.
 
7º mandamento
Mais ainda, o aborto rouba nossas vidas, nossas esperanças para o futuro, alicerçado em nossos bebês, rejeitando, assim o 7º mandamento. Um exemplo claro disso é o caso dos Estados Unidos, onde a presença de 40 milhões de imigrantes hispanos preenche o vazio deixado pela destruição de 47 milhões de bebês abortados desde a decisão judicial a favor do aborto, "Roe versus Wade", de 22 de janeiro de 1973.
 
10º mandamento
Finalmente, o mandamento que proíbe cobiçar as coisas alheias fala do pecado da avareza, que é precisamente o que motiva as clínicas de aborto. É comum ouvir que os próprios médicos não gostam do aborto, mas o fazem para ganhar dinheiro.
 
O aborto é como um grande turbilhão espiritual que puxa as pessoas para o interior de si mesmo, e até os membros da Igrejapodem se ver afetados por ele. A maioria dos pecados enumerados são pecados de omissão.
 
Os pecados da Igreja com relação ao aborto podem ser vistos no silêncio dos padres sobre este tema; nos líderes políticos "católicos" hereges que apoiam o aborto; na fácil justificação do aborto por educadores "católicos"; na falta de verticalidade moral das equipes médicas "católicas" quanto aos anticoncepcionais abortivos e às esterilizações. E a lista é grande.
 
Tudo o que foi comentado anteriormente tem o objetivo de informar que o aborto é uma força espiritual que rejeita o plano de Deus para o amor, a vida e a família. O aborto não destrói somente os corpos, mas também as almas, e isso, levando em
consideração a eternidade que nos aguarda, é a grande obra-prima do demônio.

Postar um comentário

 
Copyright © 2015 RCC PIAUÍ - Renovação Carismática Católica do Piauí. Desenvolvido por Ministério de Comunicação Social